1. História Contemporânea: desafios do Tempo Presente

Este simpósio destina-se ao encontro de pesquisadores/as que estudem a contemporaneidade, em especial o período que se estende do Pós-Segunda Guerra aos dias atuais. O contexto histórico abordado compreende, em linhas gerais, a formação dos Estados de Bem-Estar Social, a ascensão da juventude como categoria social, assim como da cultura de massas e da contracultura, a crise do socialismo e dos projetos coletivos, a ascensão do neoliberalismo, do individualismo e da sociedade do consumo, chegando também a globalização e suas conseqüências sociais, políticas, econômicas e culturais. Pretendemos reunir as diversas experiências de pesquisa (tanto de historiadores quanto de outros cientistas sociais) para debater os múltiplos aspectos dos séculos XX e XXI, e isso a partir de documentação variada, como o cinema, a mídia impressa, a Internet, a oralidade, a fotografia, entre outras. O desafio é pensar essa dinâmica mais recente da história contemporânea, problematizá-la e trocar experiências de pesquisa.

 

Proponente: Prof. Dr. Leonardo Brandão (FURB)
 
Currículo: Professor de História Contemporânea do curso de graduação em História da Universidade Regional de Blumenau (FURB) e também professor do programa de mestrado e doutorado em Desenvolvimento Regional da mesma Universidade (PPGDR/FURB). Possui Licenciatura e Bacharelado em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Mestrado em História pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e Doutorado em História, com bolsa do CNPq, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Estuda os séculos XX e XXI, em especial temas ligados à questão urbana, cultura, imprensa e representações. É coordenador do Laboratório de Estudos Contemporâneos (LEC).

2. A Didática da História na atualidade: experiências, reflexões e possibilidades

O objetivo deste Simpósio é congregar as múltiplas e distintas perspectivas relacionadas à didática da História nos dias atuais: desde práticas docentes, relatos de experiência e reflexões teóricas nos espaços de educação formal e não formal, bem como divulgar as pesquisas que vem sendo produzidas. Desse modo, trabalhos que versem sobre a didática da História ou de outras áreas afins, desenvolvendo reflexões interdisciplinares, sobre escola pública, currículo, avaliação, políticas públicas direcionadas ao ensino, reflexões sobre ações e demandas em torno das pluralidades étnicas e de gênero, memória, patrimônio e história local e regional, produção de materiais didáticos dentre outros temas relacionados serão bem-vindos. 

Proponente: Profa. Dra. Cintia Regia Rodrigues (FURB)

Currículo: Doutora em Estudos Históricos Latino-Americanos no PPGH da Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS. Possui Graduação em Licenciatura em História na Unisinos; Mestrado em Estudos Históricos Latino-Americanos – Unisinos. Atualmente é docente do quadro permanente da Universidade Regional de Blumenau – FURB.
 

3. História da Morte: abordagens e fontes

A História da Morte vem se consolidando nos últimos anos como uma área interdisciplinar. As análises sobre atitudes diante da morte e questões ligadas ao morrer, ao patrimônio cemiterial entre outros aspectos, ganharam ao longo dos últimos anos diversas abordagens por parte das pesquisas realizadas no Brasil e no Mundo. A História da Morte tem na figura do historiador francês Phillippe Ariès um de seus maiores divulgadores. Outros historiadores franceses como Michel Vovelle também realizaram inúmeras reflexões sobre a questão da morte, do morrer. No Brasil, um dos marcos da divulgação dessas investigações foi o lançamento do livro do historiador João José Reis, A morte é uma festa em meados dos anos 90. Na última década, inúmeros historiadores brasileiros contribuíram com reflexões originais para o tema, entre eles se destaca o trabalho da professora Claudia Rodrigues (UNIRIO). A temática se consolidou em eventos internacionais, nacionais e regionais em que percebe-se o nítido crescimento das pesquisas em que a morte é problematizada. O presente simpósio temático pretende abrir espaço para o diálogo interdisciplinar e a mobilização de diferentes referenciais teóricos. Propostas que investiguem a História da Morte, do Morrer e dos mortos em diferentes contextos históricos; regimes e práticas funerárias; cemitérios e a problemática da secularização; arte tumular; geografias da morte e do morrer; religiosidades e rituais emergentes na sociedade contemporânea. As múltiplas dimensões da morte e do morrer e as diversas metodologias de pesquisa para cada abordagem demonstram como a temática é um rico campo para debates acadêmicos.

Proponentes: Dra. Adriane Piovezan (UFPR);

                        Me. Clarissa Grassi (UFPR)

 

Currículo:

Adriane Piovezan - Doutora em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), a pesquisadora possui Graduação em História pela mesma instituição. É Mestre em Estudos Literários pela UFPR. Atualmente é Professora de História do Brasil pela FIES (Faculdades Integradas Espírita). Suas pesquisas se concentram na temática da morte, do morrer, dos cemitérios militares e das atitudes diante da morte.

 

Clarissa Grassi - Mestre em Sociologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), a pesquisadora é presidente da ABEC (Associação Brasileira de Estudos Cemiteriais). Possui diversas publicações sobre a temática da morte principalmente sobre o Cemitério Municipal São Francisco de Paula em Curitiba.

 

 

 

4. Nas veredas da ficção: os entrelaces da História com a Literatura


Os escritos históricos e literários comportam uma imensidão de substratos para o entrecruzamento de fontes e problemas no campo da História, pois fornecem pistas de suas redes de interlocução social e intertextual. Sob essa perspectiva, esse simpósio temático pretende reunir estudos e pesquisas que discutem história e literatura, em um debate teórico-metodológico entre a realidade e a ficção, relacionando circunstâncias de produção, circulação e recepção da cultura escrita. São contempladas, em especial, abordagens dedicadas a pensar as interações incessantes e relações simbióticas entre textos e contextos, no afã de investigar a historicidade inerente às narrativas literárias. A literatura tornou-se área de interesse para os historiadores como forma de expressão de indícios verossímeis e parciais das razões e dos sentimentos partilhados por literatos e seus contemporâneos, traduzidos em forma de texto. O cerne da proposição contempla as narrativas textuais enquanto objetos culturais e formas de interpretação de lugares sociais, cingidas por condições políticas, socioeconômicas e culturais dos sujeitos históricos que orbitam em torno do universo da produção intelectual. 

Proponentes: Profa. Dra. Cristina Ferreira (FURB);

                        Prof. Me. Evander Ruthieri S. da Silva (FURB)

Currículo:

Profa. Cristina Ferreira - Doutora em História Social pela Universidade Estadual de Campinas - Unicamp (2015); Mestre em História do Brasil pela Universidade Federal de Santa Catarina (1998) e graduada em História pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (1992). Professora titular da Fundação Universidade Regional de Blumenau nas disciplinas História do Brasil II e III; Prática de Pesquisa I e II, Pesquisa em História e TCC. Tem experiência na área de História do Brasil, com especialidade em História Social e Política, com ênfase nas temáticas concernentes às culturas política e associativa, história social da cultura e do trabalho na Ditadura Civil-Militar, História e Literatura no séc. XIX e a mitificação de D. Pedro I no Sesquicentenário da Independência do Brasil (1972).

 

Prof. Evander Ruthieri S. da Silva - Doutorando no Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná e bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Pela mesma instituição, e com bolsa da CAPES, concluiu o Mestrado em História (2016). Licenciado e bacharel em História pela Universidade Regional de Blumenau (2012). Integrante (discente) do Núcleo de Artes Visuais (NAVIS), na linha de pesquisa História e Ficção, e pesquisador do Centro de Memória Oral e Pesquisa em História (CEMOPE), na linha de pesquisa Cultura Histórica, Literatura e Memória. Possui experiência com ensino e pesquisa em História. Áreas de interesse: história e literatura; teoria da história e narrativa; história contemporânea e da África; cultura escrita e imaginários políticos; trajetórias de intelectuais em fins do século XIX.

5. História Antiga e Medieval – a formulação de projetos de pesquisa

Propomos reunir os graduandos e graduados da própria FURB, além de pós-graduandos e docentes de outras instituições para discutir a gênese e a formulação de seus projetos de pesquisa atuais e anteriores nas áreas de História Antiga e Medieval, de modo a fornecer sobretudo aos atuais graduandos insights sobre a prática de pesquisa, não somente quanto às suas possibilidades mas também quanto às suas dificuldades.

Proponente: Prof. Me. Gustavo Sartin (FURB)

 

Currículo: Doutorando em História na Universidade Federal de Ouro Preto e mestre em História (área de concentração: História e Espaços) pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. É também bacharel e licenciado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dedica-se à área de História Antiga, sobretudo ao estudo das estruturas políticas da Grécia, da escravidão no mundo greco-romano e da dissolução do Império Romano do Ocidente.

6. Política e Imprensa: o Brasil e a América Latina no século XX

 
Este simpósio temático tem por objetivo reunir pesquisadores que discutam a atuação da imprensa no Brasil e em países da América Latina no século XX. Compreende-se que este meio de comunicação atua sobre a formação da opinião pública de modo que é necessário atentar-se para as relações políticas, empresarias e institucionais que envolvem a produção e a circulação de conteúdos midiáticos.  Nestes locais, sobretudo na segunda metade do século XX, observam-se processos históricos que culminaram em mudanças políticas e sociais significativas envolvendo a formação de regimes ditatoriais. Nesse sentido, é possível apontar para intrínsecas relações entre a produção midiática e temas como opressão política, liberdade de expressão, censura, democracia e resistência.

Proponentes: Me. Kelly Yshida (UFSC);

                        Me. Patrícia Volk Schatz (UFSC)

 

Currículo:

Kelly Yshida - Doutoranda em História pelo Programa de Pós Graduação em História da Universidade Federal de Santa Catarina (PPGH-UFSC). Possui Bacharelado e Licenciatura em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e Mestrado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Patrícia Volk Schatz - Doutoranda em Geografia pelo Programa de Pós Graduação em Geografia da Universidade Federal de Santa Catarina (PPGGEO-UFSC). Possui Bacharelado e Licenciatura em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Bacharelado em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Mestrado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina. 

7. A moda e a indumentária na História 

Esse simpósio visa congregar pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação que se dediquem ao estudo da indumentária e da moda em distintos tempos e espaços. São bem-vindas investigações em andamento ou concluídas sobre as mais variadas facetas da moda tanto no presente como no passado. Enquanto objeto complexo a moda comporta problemáticas relacionadas ao social, econômico, cultural e material, portanto o simpósio pretende reunir os mais diversos percursos de pesquisa, visando fomentar os intercâmbios e a interlocução entre aqueles dedicados à área.

Proponente: Profa. Dra. Juliana de Mello Moraes (FURB)

 

Currículo: Possui graduação (2000) e mestrado (2003) em História pela Universidade Federal do Paraná e doutorado (2010), em História, pela Universidade do Minho, Portugal. Realizou estágio pós-doutoral (2014) na Universidade de Lisboa, com bolsa da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT-Portugal). Atualmente é professora do quadro permanente da Universidade Regional de Blumenau (FURB). Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil Colônia e Portugal (séculos XVII e XVIII), principalmente das instituições, sociabilidades e práticas religiosas e da indumentária na Idade Moderna.

 

8. História Ambiental e o Desenvolvimento Regional

 

Desde 2004 o GPHAVI – Grupo de Pesquisas de História Ambiental do Vale do Itajaí realiza atividades de pesquisa com a temática da História Ambiental agregando estudantes da graduação de diversas áreas do saber. O simpósio busca promover um espaço para divulgação dos estudos realizados, e de estudos realizados por outros pesquisadores da nossa região, que se preocupam nas suas pesquisas em narrar como ocorre a História das relações, interações e interdependências da sociedade na natureza, e vice-versa,  evidenciando como se organiza o modelo e os processos do Desenvolvimento Regional, e sua Problemática Ambiental. 


Proponentes: Prof. Dr. Gilberto Friedenreich dos Santos

                        Prof. Me. Martin Stabel Garrote

Currículo:

Prof. Gilberto Friedenreich dos Santos - possui graduação em geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1985), mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1990) e doutorado em Geografia (Geografia Física) pela Universidade de São Paulo (1996). Atualmente é professor do quadro da Fundação Universidade Regional de Blumenau. Atua em pesquisa na área de Geociências, com ênfase em Geomorfologia e História Ambiental.

Prof. Martin Stabel Garrote - Doutorando em Desenvolvimento Regional no PPGDR da Universidade Regional de Blumenau FURB, o pesquisador possui Graduação em História e em Ciências Sociais pela FURB; Especialização em História Social e Ensino de História pelo Instituto Superior do Litoral do Paraná ISULPAR/CEUNI; Mestrado Desenvolvimento Regional pela FURB, bolsista CAPES. De 2004 até 2013 atuou como professor de História no Ensino Básico da Prefeitura Municipal de Blumenau-SC. De 2012 até 2013 atuou como professor no Ensino Superior no Departamento de Ciências Sociais e Filosofia da FURB; É membro fundador e pesquisador colaborador no Grupo de Pesquisas de História Ambiental do Vale do Itajaí de 2004 até hoje. Desenvolve estudos na área da História Ambiental e Desenvolvimento Regional, tendo experiências em territórios protegidos com Unidades de Conservação, populações do entorno e suas relações, interações e interdependências com o ambiente. Atualmente é bolsista CAPES e realiza pesquisa sobre a História Ambiental e o Desenvolvimento Sustentável no Parque Nacional da Serra do Itajaí-SC.

9. Cultura, classe e política em Santa Catarina no período republicano

Diante dos bons resultados da primeira realização deste simpósio temático no ano de 2016, em sua segunda edição, busca-se dar continuidade ao seu objetivo de promover um espaço para que sejam discutidas as distintas peculiaridades e conflitos da sociedade catarinense mediante estudos multidisciplinares que privilegiem os temas cultura, classe e política desde a proclamação da República, passando pelo liberalismo oligárquico da Primeira República, pelo período varguista, da experiência democrática de 1945-1964, do golpe de 1964 e sua ditadura subsequente, à Nova República e as implicações do neoliberalismo nos dias atuais. O enfoque regional possibilita operacionalizar conceitos e metodologias a partir de uma escala reduzida e um conjunto de relações sociais delimitadas, bem como de referentes culturais, econômicos e políticos que se entrelaçam em uma rede de sociabilidades com características próprias. Sob este prisma, o Simpósio Temático Cultura, classe e política em Santa Catarina no período republicano possui o fito de problematizar a formação e a atuação dos comportamentos culturais e políticos das distintas classes sociais e/ou de seus representantes (indivíduos ou grupos) em Santa Catarina durante o período republicano a partir dos pressupostos teóricos e metodológicos da História Social e da História Política. Desta forma, ao escopo deste simpósio interessam estudos que abordem as seguintes temáticas: movimentos sociais; culturas de classe; culturas políticas; imaginários sociais; ideologias; mídia e meios de comunicação; partidos políticos; debates teóricos e conceituais que sejam condizentes com os temas e tópicos propostos neste Simpósio.

 

Proponentes: Me. Fabiano Garcia (UFSC)

                        Me. Ricardo Duwe (UFSC)

Currículo:

Fabiano Garcia - Bacharel e licenciado em História (2013). Mestre em História Cultural (2016), ambos pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é doutorando do Programa de Pós-Graduação em História pela mesma Universidade. Membro da linha de pesquisa Sociedade, Política e Cultura no Mundo Contemporâneo, desenvolve pesquisas e tem interesse em História Contemporânea e Brasil Republicano.
 

Ricardo Duwe - Mestre em História do Tempo Presente pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2016) e Bacharel e licenciado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (2013). Atualmente é doutorando no curso de Pós-Graduação em História da UFSC e membro da linha de pesquisa Sociedade, Política e Cultura no Mundo Contemporâneo. Possui interesse e experiência na área de História Contemporânea e Brasil Republicano, com ênfase em História Política, culturas políticas, partidos políticos e ditadura militar.
 

Simpósios Temáticos